sobre eu e você e nunca mais

eu e você e todas as outras pessoas do mundo. eu e você e velhos estranhos. eu e você e as árvores. eu e você e o silêncio inoportuno dos nossos olhares. eu e você, e eu nem me lembro mais. temos um estoque grande de coisas. todas elas se entulham e formam algo que nem eu, nem você conseguimos esquecer. é, as coisas mudaram. caminhos diferentes, o que sempre dizíamos?um dia, quem sabe. talvez agora, distantes e onipresentes. porém, do passado não se faz futuro. do passado se fazem velhas lembranças. de velhas lembranças se fazem você, se fazem nós, se fazem o que fomos um dia. e nunca mais seremos outra vez.

  • Digg
  • Del.icio.us
  • StumbleUpon
  • Reddit
  • RSS

tristes mutações

tudo se transforma. em relação ao amor essas transformações são tão mais dolorosas. olhei pra você por alguns minutos, minha mente repleta de lembranças rodou um filme, e me deu certa estranheza ao pensar que algo tão puro e lindo virou algo mesquinho e um peso a mais na minha bagagem de pesos que não posso mais suportar e ainda assim suporto, com dificuldade, arrastando-me pelas ruas da falta de esperança. a resposta é tão banal e idiota, erros. erros. mais erros. erramos sem pensar, um querendo errar mais e ainda assim errando. cortando, perfurando sentimentos e corações. ao fim, a imutável vulgaridade de um amor estraçalhado, aos pedaços, que não há concerto ao certo, porque colar seria impossível e deixaria muitas cicatrizes.

  • Digg
  • Del.icio.us
  • StumbleUpon
  • Reddit
  • RSS

sobre ter te matado

Eu passo quieta por você, você passa quieto por mim, e eu ainda escuto o barulho que a gente faz. E você já abalou tanto a minha vida. Que pena, agora você morreu. Não morre, por favor. Seja ele, seja o homem que perde um segundo de ar quando me vê.

Mas você nunca mais me olhou quase chorando, você nunca mais se emocionou, nem a mim. Você nunca mais pegou na minha mão e me fez sentir segura. Nunca mais falou a coisa mais errada do mundo e fez o mundo valer a pena.

Eu treinei viver sem você, eu treinei porque você sempre achou um absurdo o tanto que eu precisava de você para estar feliz.

De tanto treinar acostumei.

Eu só queria que ele aparecesse, o homem que vai me olhar de um jeito que vai limpar toda a sujeira, o rabisco, o nó. O homem que vai ser o pai dos meus filhos e não dos meus medos. O homem com o maior colo do mundo, para dar tempo de eu ser mulher, amar para sempre. Para dar tempo de eu ser criança, chorar para sempre.
Para dar tempo de eu ser para sempre.

Cansei de morrer na vida das pessoas. Por isso matei você.

Antes que eu morresse de amor. Matei você.

Eu sei que sou covarde. Surpreso? Eu não.

Tati Bernardi.

  • Digg
  • Del.icio.us
  • StumbleUpon
  • Reddit
  • RSS